O Hands on Lisbon é um workshop de verão desenvolvido pelo Colectivo Warehouse focado em Design e Construção. O objectivo é desenvolver intervenções com impacto canalizando a energia e criatividade dos participantes e envolvendo as comunidades no processo.

Nesta primeira edição o workshop incidiu no bairro da Mouraria em Lisboa sob o tema “O papel do CIM – Centro de Inovação da Mouraria na vida do bairro”. O CIM funcionou como centro de produção do workshop e simultaneamente um dos locais a intervir.

O grupo de participantes agregava sete nacionalidades diferentes vindos de áreas tão diversas como arquitectura, design produto e desenvolvimento social. Esta multiculturalidade é evidente também nas diversas comunidades que compõem o tecido comunitário da Mouraria (Bangladesh, Cabo Verde, Moçambique, Indía, Angola, Paquistão, Portugal, Guiné Bissau, Nepal, China, Brasil).

Na primeira semana os participantes tiveram a primeira interacção com a cidade e com o bairro seguindo diversas actividades como visitas guiadas a Lisboa com guia local, percursos fotográficos sob temáticas especifícias, conhecer as associações locais e moradores. Após estas experiências iniciaram a fase de design onde começaram a desenhar as intervenções em grupos. A primeira semana foi ainda pontuada por palestras de vários tutores do universo do Design e Construção que alimentaram a criativade dos participantes e abriram novos horizontes e abordagens.

A segunda semana iniciou-se com uma formação em manuseamento de ferramentas e segurança na obra. Os participantes tiveram ao dispor além das ferramentas facultadas pela Bosch, máquinas de corte CNC e Laser com o apoio do FabLab Lisboa. Foram construídas três intervenções durante a semana que culminou com o evento de apresentação à comunidade e festa de inauguração no CIM.

Caracol da Graça

Nas escadas do Caracol da Graça foi desenvolvida uma instalação artística temporária remetendo para a imagética dos estendais de Lisboa. O conceito era demonstrar a multiculturalidade do bairro e celebrar o seu sentido de comunhão em contraste com o tempo de crescente xenofobia e racismo que vivemos.

Quatro pórticos em madeira estão conectados com roldanas de estendais e suportam cortinas que contêm símbolos representativos de cada comunidade da Mouraria. As cortinas assemelham-se a uma parede de azulejos tanto pelo padrão como pela cor azul utilizada, em mais uma clara analogia à cidade. Em cada cortina uma das comunidades é destacada a laranja. No topo foi colocado um banco e uma árvore conceptual em contraplacado de bétula numa referencia à antiga árvore que existia naquele local.

Muro CIM

Na primeira semana foi identificado como um dos problemas o facto do CIM estar muito encerrado em si e a dificuldade de comunicar com o exterior inclusive que espaço era este. Foi desenvolvida uma intervenção no muro do CIM que evidencia-se o seu nome no exterior e funcionasse como base de projecção no interior.

A estrutura de madeira “agarra” o muro sem recorrer a fixação. A estrutura triangular no exterior dá dinamismo a fachada e suporte à fixação das lonas com o lettering do CIM criado pelos participantes. No futuro pode ser fixada programação ou informação sobre o CIM na fachada. No interior é criada uma parede de projecção que culmina com um banco corrido e mesa de apoio. A cor azul dos padrões unifica as várias intervenções.

Ilha

Para responder à necessidade de equipar a área exterior do CIM foram criadas peças de mobiliário que se conjugam para formar uma ilha no centro do pátio.
Quando conjugadas as peças assemelham-se à colina do Castelo e as faces das peças de mobiliário contém elementos estilizados como janelas, portas, estendais, vasos de flores e telhados para enfatizar esta analogia.

Quando divididas as peças de mobiliário possibilitam inúmeras combinações. As peças criadas podem ser utilizadas na vertical ou horizontal formando bancos, mesas baixas, mesas altas, espreguiçadeiras. No centro desta ilha temos um canteiro que funciona como o único elemento fixo. Todo o mobiliário está preparado para ser utilizado no exterior e no interior para apoio dos eventos criados no CIM.

https://www.hands-on-lisbon.com/

FICHA TÉCNICA

Equipa: Colectivo Warehouse
Parceiros: CIM – Centro de Inovação da Mouraria; BTUIN; Milacessos; FabLab Lisboa; CML – Progama BIP-ZIP; Junta de Freguesia de São Vicente; CIN; Bosch; Jular Madeiras; Campotec; Unicer.
Com: Ricardo Morais, Sebastião de Botton, Rúben Teodoro, Romain Deboulle, Monica Di Eugenio
Colaboradores: Alaa Alhariri, Allegra Zanirato, Annika Maria Solbjørg, Cayetana Antón García, Eugénio Silva, Fran Matijevic, Katrine Stahlschmidt, Tetiana Kamenska, Vito Grego